Obtenha as últimas notícias sobre a nossa resposta ao Covid-19 e as nossa políticas de cancelamento. Saiba mais

#FLAGvox | “Sabe o que é um fullstack web developer? E o que faz no seu dia-a-dia?”

Ivo Gonçalves, Formador FLAG, e entusiasta de todas as vertentes do mundo tecnológico, trabalha há 18 anos na área web, conta-nos como é ser um fullstak e o que faz no seu dia-a-dia.

Como é o meu dia-a-dia como programador/engenheiro fullstack? Não é simples de descrever já que a nossa meta diária é a de criar produtos que resolvam os problemas de milhares de pessoas em Portugal, e não só. Não há um dia típico porque cada dia é um novo desafio.

E ainda bem que assim é.

Conseguem imaginar o dia-a-dia de alguém a digitar comandos para computadores executarem e não ser uma experiência diferente de cada vez que o fizesse? Seria aborrecido. Mas não é, pelo contrário! Este trabalho permite-me criar como um artista, conceber e dar corpo a todo o tipo de ideias com aplicações no mundo real, não só escrevendo código, mas comunicando de forma clara com todo o tipo de pessoas que precisam dos nossos serviços, mesmo que nada percebam da complexidade escondida por detrás do stack tecnológico que mostra coisas nos seus ecrãs.

Seja estruturar bases de dados que guardem anos de informação das empresas e respetivos clientes, ou implementar designs apelativos que funcionem em todos os dispositivos, ou mesmo criar formulários tão extensos como os do IRS, ou conceber um sistema de autenticação com várias camadas de segurança… são tarefas que requerem atenção permanente, um foco contínuo em fazer o meu melhor e aplicar todas as técnicas que aprendi ao longo dos anos.

O papel de um programador fullstack é crítico.

Todas as equipas beneficiam de ter pelo menos um indivíduo com conhecimento holístico de todas as partes de um projecto, para não falar de quem trabalhe sozinho como freelancer.
Nós temos o dom especial de combinar várias peças tecnológicas num pacote único perfeitamente realizado. Temos visão para encontrar todo o tipo de problemas e corrigi-los rapidamente.

Actualmente, trabalho numa start-up onde criámos um motor incrivelmente versátil chamado RAM (ram.com.pt) que é capaz de construir todo o tipo de aplicações complexas em alta velocidade, sejam ERPs financeiros de larga escala, CRMs, Helpdesks, software de gestão de armazém, ou lojas de eCommerce. Não teria conseguido criar algo desta dimensão e complexidade se não tivesse passado continuamente por todas as vertentes de construir aplicações na web, seja o entendimento de como criar interfaces eficientes para utilizadores, ou como escrever código de sistema backend rápido e seguro.

São tudo técnicas que se aprendem com dedicação.

Alunos meus perguntam-me como é possível acompanharem todos os avanços tecnológicos sem ficar para trás. E a minha resposta é sempre a mesma: “apliquem os fundamentos principais de programação que aprenderam”.
Embora o mundo não pare, esses fundamentos são os mesmos de há 30 ou 50 anos. O que mudam são as ferramentas, e isso, uma rápida formação dá-nos o necessário para continuarmos a fazer projectos novos que respondam às necessidades actuais e futuras.

Ser adaptável é o mais importante na nossa área porque ninguém sabe tudo (é impossível), mas estar disposto a ouvir e a aprender? Esses são os programadores que têm sucesso garantido, são os engenheiros do futuro.

Artigo de opinião em: HRPortugal | Texto de: Ivo Gonçalves.